Cirurgia plástica e cigarro: quais os riscos?

As cirurgias plásticas são cada vez mais solicitadas no mundo inteiro, tanto por mulheres, quanto por homens, porém o público feminino ainda segue sendo maior. As cirurgias plásticas são procedimentos estéticos realizados com o intuito de mudar algo na aparência de quem está se submetendo ao procedimento.

São exemplos de cirurgias plásticas abdominoplastia, lipoaspiração, rinoplastia, entre muitas outras. Muitas pessoas que passam por esses procedimentos costumam possuir o hábito de fumar, porém a maioria dos médicos indica que o paciente fique um mês antes da cirurgia sem beber e um mês depois, caso contrário a cirurgia pode ter complicações.

Saiba a seguir qual a relação entre o cigarro e as cirurgias plásticas e quais os riscos corridos por quem não deixa de fumar neste período.

Cirurgia plástica e cigarro: quais os riscos?

Cirurgia plástica e cigarro: quais os riscos?

Cigarro e cirurgia plástica

É muito claro para todas as pessoas do mundo, inclusive para aquelas que fumam, que o cigarro é extremamente prejudicial para a saúde. Seu uso pode causar problemas respiratórios, câncer, queda de cabelo, e muitos outros problemas.

Porém, o hábito de fumar pode prejudicar as pessoas em situações as quais elas nem fazem ideia, e a cirurgia plástica é um exemplo delas. Pessoas que fumam e se submetem a procedimentos cirúrgicos correm muito mais riscos de terem complicações durante e após a operação.

Por que isso acontece?

As complicações adquiridas no processo cirúrgico por conta do cigarro estão diretamente ligadas com o que a nicotina pode provocar no organismo do paciente. A nicotina é a responsável pela contração dos vasos sanguíneos, dificultando a irrigação do sangue até a pele, podendo comprometer seriamente a cicatrização e aumentando muito as chances de necrose, isto é, a morte do tecido.

O descolamento e enrugamento da pele também podem ser consequências da presença da nicotina no sangue. Outra consequência pode ser a falta de irrigação de sangue e de oxigênio, o que prejudica a sustentação dos tecidos, já que o oxigênio é essencial para a produção de colágeno.

Recomendações

Apesar disso, fumantes podem realizar os procedimentos cirúrgicos. Porém, existem algumas recomendações antes das cirurgias para que problemas sejam evitados. Entre elas, temos:

  • Antes da cirurgia plástica: é recomendável que o paciente fique cerca de duas semanas no mínimo sem fumar, porém o quanto antes, melhor;
  • Depois da cirurgia plástica: é recomendável que o paciente só volte a fumar depois de, mais ou menos, um mês depois da cirurgia plástica, para que não haja nenhum problema de cicatrização.

Cirurgia plástica e cigarro: quais os riscos?

Agora que você já sabe das consequências, realize os procedimentos da maneira certa para evitar que algum problema aconteça com sua cirurgia.

Cotação Online

Digite a quantidade de pessoas por faixa etárias de idade